Área do Aluno

Frontpage Slideshow | Copyright © 2006-2011 JoomlaWorks Ltd.

Bem-vindo ao IPOI

 Campanha “Boca saudável reduz riscos na UTI”

 As UTI’s mudaram nos últimos anos: hoje são espaços de vida e recuperação da saúde. Desde 24/2/2010 a ANVISA incluiu a assistência odontológica na equipe multiprofissional mínima que atua nas UTI’s  (artigo 18, da RDC-07). A ANVISA normatiza todas as UTI’s do Brasil e nesta mesma RDC exige também que todos os profissionais que atuem na UTI sejam “legalmente habilitados”(art.17 §2º).  

A abrangência da RDC-07, determinada no art. 3º, inclui todos os hospitais públicos, privados, civis, militares e filantrópicos, e, quanto aos direitos dos pacientes internados, no art. 21, §2º, da mesma Resolução, garante que a assistência odontológica deve comtemplar todos os pacientes internados na UTI .

Em todos os Estados do Brasil, Comissões de Odontologia Hospitalar (COH) foram nomeadas, para que, de forma responsável e ética, a RDC- 07 fosse cumprida e os Cirurgiões-Dentistas fossem capacitados em terapia intensiva e habilitados prática e  rotinas das UTI’s  para então iniciar suas atividades nas nos hospitais.

A complexidade da assistência odontológica nos leitos da UTI (pacientes críticos, com elevado risco cirúrgico), exige profissionais com formação específica em duas áreas de atuação: a Odontologia (Cirurgiões-Dentistas com registro no CRO-PA)  e a Terapia Intensiva (CDs com inscrição no Conselho Nacional dos Intensivistas). Portanto os Cirurgiões-Dentistas legalmente habilitados, possuem além da certificação de Curso de  Aprimoramento em Odontologia na UTI (emitido por entidade nacional na área da Terapia Intensiva, A SOBRATI),   o registro das duas páreas de atuação; o CRO e o CNI em seu carimbo profissional (CNI: Conselho Nacional de Intensivismo).

A Comissão de Odontologia Hospitalar do CRO-PA já iniciou a primeira fase da campanha educativa junto aos hospitais com UTI do Pará informando que temos Cirurgiões-Dentistas com formação em Terapia Intensiva (CDs Intensivistas) e que  esgotou o prazo para o cumprimento da RDC-07 (em 24/02/2013). Foram enviados 55 ofícios para hospitais civis, públicos, privados, militares e filantrópicos que ainda estão em fase de resposta.

A segunda fase da Campanha ocorrerá em dois Shoppings de Belém (Shopping Boulevard e Pátio Belém), no próximo dia 25 de outubro, dia do Dentista, com objetivo de informar à população um direito que ela ainda não sabe que tem: o direito de ter assistência odontológica na UTI.  A Comissão de Odontologia Hospitalar do CRO-PA, a Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva-SOBRATI, o Instituto Brasileiro de Odontologia Intensiva-IBROI e o Instituto Paraense de odontologia Intensiva- IPOI convidam todos os profissionais de saúde e intensivistas a aderir a esta campanha porque a boca, meio contaminado por microorganismos, é a maior fonte de disseminação de bactérias para o organimo, foto incontestável que originou o slogan de nossa campanha: “Boca Saudável reduz risco de infecções na UTI”.

  

Unidade de Terapia Intensiva (UTIs)

O atendimento odontológico nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) já é uma realidade em alguns hospitais brasileiros e tem o objetivo de prevenir não só as infecções bucais, que interferem na evolução das doenças dos pacientes acamados, bem como limitar a disseminação de micro-organismos que colonizam desde a cavidade oral ao trato respiratório inferior desses pacientes. Pneumonias associadas à ventilação mecânica podem  interferir na recuperação do paciente, muitas vezes conduzindo-o a um desfecho fatal. Os cuidados com a saúde bucal podem diminuir o tempo de internação do paciente e os custos hospitalares.

A assistência odontológica aos pacientes internados nas Unidades de terapia Intensiva foi garantida desde 24 de fevereiro de 2010 na resolução Normativa da ANVISA RDC-07. Esta resolução, no capítulo 18 , incluiu a assistência odontológica na equipe multidisciplinar mínima dos hospitais com UTI sejam eles  públicos, privados, civis, militares ou filantrópicos.

 O IPOI, Instituto Paraense de Odontologia Intensiva, nasceu da percepção de que esta nova área de atuação: a Odontologia Intensiva, requer um trabalho responsável no sentido de formar profissionais de odontologia para atender a esta importante demanda para garantir o direito à saúde bucal dos pacientes, saudáveis ou doentes, por toda a vida.